Notícias

terça
15
dez 2015
(Foto: Getty Images)

Um ‘problema’ para as adversárias no Rio 2016




O Mundial Feminino de Handebol, na Dinamarca, mal começou e uma jogadora brasileira já está dando o que falar. Alexandra Priscila Nascimento, ou simplesmente Alê, salvou a primeira partida do Brasil contra a Coreia do Sul com um gol no último segundo, no sábado (5), e ainda saiu da seguinte, contra o Congo, nesta segunda-feira (7), como artilheira e melhor jogadora em quadra.
Só que ela já está acostumada a brilhar. Em 2012, foi eleita a melhor jogadora do mundo. Em 2013, foi uma das principais responsáveis pela conquista do inédito título mundial para o Brasil. Em Jogos Olímpicos, não fez diferente. Foi artilheira da seleção brasileira em Pequim 2008 e Londres 2012 – somando 83 gols marcados nas duas edições – e eleita melhor ponta dos Jogos Londres 2012. O que mais poderia faltar? Só o ouro Olímpico, que ela, junto a suas companheiras de equipe, sonha em conquistar no Rio 2016.
Além da chance de defender o título conquistado em 2013, o Campeonato Mundial 2015 é importante porque promete antecipar o que pode acontecer no maior evento esportivo do mundo, além de definir mais uma vaga para a competição Olímpica.
Já na sua estreia na Dinamarca, as brasileiras encararam uma Coreia do Sul determinada em derrotar as atuais campeãs. Disputada no sábado, a partida foi dura do início ao fim e, faltando apenas três segundos para o apito final, Alê recebeu a bola e saltou para, em um arremesso incrível contra o gol da seleção coreana, assinalar o placar final: 24 a 24.

Rio 2016